PJ x CLT x Autônomo: Qual modalidade vale mais a pena?

Por: | Data: dezembro 11, 2020

Cada vez mais as pessoas estão determinadas trabalharem como Pessoa Jurídica ou como profissionais autônomos, usufruindo da flexibilidade da carga horária de trabalhar por conta própria e da possibilidade de crescimento profissional.

No entanto, sair do CLT e abrir um CNPJ ainda gera muitas dúvidas e inseguranças, afinal a maioria das pessoas está acostumada a pensar em toda a estabilidade e segurança que a carteira assinada traz.

Mas você sabia que existem muitas vantagens de trabalhar como PJ? E que, dependendo da sua área de atuação e estilo profissional, vale muito mais a pena abrir um CNPJ do que seguir no trabalhando como CLT?

É isso que vamos te explicar hoje, mostrando os prós e contras das modalidades para ajudar você a escolher aquela que mais se encaixa com o estilo de vida (pessoal e profissional) que deseja alcançar, assim como esclarecendo as dúvidas mais comuns sobre o tema.

 

CLT ou PJ?

Muitos profissionais sentem muita vontade de sair do CLT e poder trabalhar por conta própria, abrindo um leque de oportunidades profissionais que, muitas vezes, permitiria ganhar até 8x mais do salário na carteira assinada.

Mas uma dúvida muito comum costuma paralisar esses profissionais na alteração do regime CLT para abrir um CNPJ e atuar como pessoa jurídica: como fica a questão dos direitos trabalhistas? E quais são os gastos para manter um CNPJ?

Afinal, quando estamos trabalhando de carteira assinada recebemos diversos  benefícios como as férias, o 13° salário, seguro desemprego, adicional por hora extra, vale refeição, FGTS e, em alguns casos, até mesmo plano de saúde/odontológico.

No entanto, o que muitos esquecem é de que alguns desses benefícios são justamente descontados do seu salário que podem acabar custando quase ¼ do que você receberia todos os meses. 

Atuando como prestador de serviço como pessoa jurídica isso é diferente, pois você atuará como uma empresa possuindo seu próprio CNPJ prestando serviços para outras empresas, sem estar subordinado como um funcionário contratado.

Isso te garante muitas outras vantagens como: flexibilidade da sua carga horária, oportunidades diferentes de negócios (podendo trabalhar com diferentes empresas ao mesmo tempo), maiores chances de ganhar mais, entre outros benefícios que podem ser até melhores do que a sensação de estabilidade que o CLT gera na vida profissional.

No entanto, para atuar como Pessoa Jurídica é necessário fazer a formalização do seu negócio. Ou seja, abrir uma empresa e realizar o pagamento dos seus impostos.

Em virtude disso, o melhor a se fazer é analisar todas as esferas da sua vida no momento antes de decidir.

Pois, como Pessoa Jurídica você tem mais instabilidade, especialmente com relação a não possui uma certeza sobre o trabalho que terá em cada mês e quanto receberá.

Além disso, os benefícios que o CLT propõe, de férias, FGTS, 13° terceiro e outros, são muito vantajosos.

Claro que a Pessoa Jurídica também conta com benefícios, como auxílio-maternidade e aposentadoria. Além disso, existem planos de saúde que oferecem pacotes com valores mais em conta para PJ.

Por isso, na hora de escolher entre PJ ou CLT é necessário realizar um planejamento, colocando de forma clara quais são suas metas e seus objetivos profissionais e buscando o máximo de informações possíveis acerca das modalidades – e o que você ganha e perde com cada uma.

 

PJ ou Autônomo?

Se você já analisou e percebeu que realmente não vale mais a pena trabalhar por CLT e deseja seguir o seu trabalho por conta própria, ainda existe a seguinte dúvida: vale a pena mesmo abrir um CNPJ? Ou é melhor trabalhar como autônomo?

Uma das grandes vantagens em trabalhar como pessoa jurídica é a oportunidade de poder emitir as notas fiscais, algo essencial para quem busca trabalhar prestando serviços para empresas, e que não é possível para um autônomo.

Mas os benefícios de abrir um CNPJ não são apenas esses!

A principal diferença entre trabalhar como autônomo e abrir uma empresa para atuar como pessoa jurídica está no pagamento dos impostos – algo que todo profissional que não atua no regime CLT precisa estar atento!

Como PJ, o pagamento dos seus impostos são muito mais simples e acabam saindo bem mais baratos do que se você atuasse como profissional autônomo sem possuir um CNPJ.

Como pessoa jurídica você pode abrir uma empresa no Simples Nacional ou então atuar como MEI, caso seu faturamento seja igual ou inferior a R$81 mil ao ano/ R$6.750 ao mês.

Tanto no Simples Nacional quanto no MEI o pagamento dos impostos são feitos de uma forma muito mais prática e, claro, simplificada através da DAS, uma única guia de recolhimento que reúne todos os impostos que devem ser pagos, tais como  IRPJ, CSLL, COFINS, PIS/Pasep, CPP, ISS.

E o valor do pagamento dos seus impostos vai variar de acordo com as atividades registradas no CNAE na hora da abertura da sua empresa, mas pode variar entre 4,5 a 33% do seu faturamento.

Como autônomo, você precisar regularizar a sua situação profissional na prefeitura da cidade em que mora e realizar o pagamento dos seus impostos (ISS, INSS e Imposto de Renda) de forma separada.

Isso é uma grande desvantagem porque, além de você pagar mais pelos impostos, você também acaba deixando a administração tributária muito mais difícil. Afinal, é muito mais fácil acabar esquecendo de pagar algum imposto quando você precisa pagar cada um deles de forma separada.

E não se engane! Não é porque você não vai ter um CNPJ e atuar como autônomo que isso significa que você não precisa pagar impostos. Inclusive, apenas receber pelos trabalhos realizados sem recolher os tributos devidos podem acabar gerando dificuldades futuras em sua vida profissional.

Apresentamos para vocês todos os pós e contras de cada modalidade. Na escolha entre CLT e PJ o que mais vale a pena observar antes de tomar a sua decisão é o estilo profissional que você deseja seguir, assim como suas ambições e o desejo de crescer no mercado

Em caso de PJ e autônomo a nossa recomendação é que você atue como Pessoa Jurídica, por conta de todos os motivos já explicados acima.

Nesse processo de abrir o seu CNPJ e começar a trabalhar como sua própria empresa, você pode contar com um serviço de contabilidade para te ajudar em todos os procedimentos necessários de forma descomplicada e ágil, facilitando ainda mais essa transição profissional!

 

Continue acompanhando o blog da Já Calculei e mantenha-se informado sobre todos os assuntos que empreendedores precisam saber para manter a saúde do seu negócio!

Tags: , , , , ,